Conheça os Indicados ao Oscar de Melhor Curta de Animação

Pouca gente costuma dar atenção à categoria de Melhor Curta-Metragem de Animação do Oscar. Dentre tantos motivos a elencar, talvez a falta de acesso a tais animações, uma vez que costumam ser exibidas em festivais isolados, em vez de estrearem no cinema, como convencionalmente ocorre com a maioria dos filmes.

Prêmio criado na década de 30, quando as cerimônias de entrega do Oscar estavam apenas engatinhando, se propunha a homenagear os realizadores que inovavam em técnicas diversas de animação. Apesar disso, em suas primeiras edições a Disney praticamente monopolizou as indicações, emplacando, por exemplo, Os Três Porquinhos (1933) e Ferdinando, o Touro (1936), até hoje lembrados e comentados nos círculos de fãs de animação.

A partir da década seguinte outros estúdios brilhariam, como a MGM com The Cat Concerto (1947). E posteriormente, até animações feitas fora dos Estados Unidos, como Surogat (1961), da Iugoslávia. Desde então, dezenas de pequenas obras-primas de todo o mundo estiveram em evidência, sendo indicadas.

Em 2018, mais cinco animações de diferentes estilos e lugares do mundo foram selecionadas. Abaixo estarão listadas, com breves comentários descrevendo-as.

Garden Party

Em uma rica casa deserta, que parece estar no final de uma festa, sapos e rãs exploram as imediações e cômodos. Ao ponto de tomar o ambiente completamente. Leve e inconsequente (a princípio), colorido, repleto de formas e texturas bem delimitadas, e com uma surpresa final no mínimo curiosa. Vale a conferida.

DURAÇÃO: 7 minutos

DIREÇÃO: Florian Babikian, Vincent Bayoux, Victor Caire, Théophile Dufresne, Gabriel Grapperon, Lucas Navarro

Garden Party (2017)

Dear Basketball

Bonita e pungente carta narrada, antes de tudo uma verdadeira declaração de amor ao esporte. Inclusive, se destaca em detrimento da própria animação, feita de traços simples, evitando intensidade visual. O texto é um poema escrito pelo jogador aposentado de basquete, Kobe Bryant, também narrador do curta. Destaque para a trilha sonora de John Williams, mais conhecido por suas parcerias com Steven Spielberg.

DURAÇÃO: 6 minutos

DIREÇÃO: Glen Keane

Dear Basketball (2017)

Lou

Curta que acompanha Carros 3, lançado ano passado, é uma bonita lição sobre bullying e encontrar coisas deixadas para trás, perdidas. Cores, movimentos e personagens em sinergia, resultando em algo belo e ao mesmo tempo emocionante. É a Pixar em toda sua essência.

DURAÇÃO: 7 minutos

DIREÇÃO: Dave Mullins

Lou (2017)

Negative Space

Talvez o melhor dentre os indicados, trata-se de uma animação feita em stop-motion, além de ter um clima de pessimismo parecido com o tristíssimo Mary e Max – Uma Amizade Diferente (2009). Melancólico, soturno e metafórico, Negative Space é um conto sobre a relação entre pais e filhos, seus distanciamentos e os ecos afetivos deixados.

DURAÇÃO: 5 minutos

DIREÇÃO: Max Porter, Ru Kuwahata

Negative Space (2017)

Revolting Rhymes Part One

Vários personagens de contos de fadas, interagindo em uma história anticonvencional. É inegável que as liberdades tomadas em relação aos contos clássicos são um diferencial. No entanto, o ritmo não atrai, e o enredo não se detém muito no aprofundamento dos personagens, tornando-os longe de serem cativantes. Dado curioso, esta é a primeira de duas partes, sendo que apenas esta foi indicada.

DURAÇÃO: 29 minutos

DIREÇÃO: Bin-Han To, Jakob Schuh, Jan Lachauer

Revolting Rhymes Part One

A cerimônia da 90ª edição da premiação do Oscar acontece no dia 4 de Março.