Pular para o conteúdo

Apenas mais uma história de amor

Histórias de Amor que não Pertencem a este Mundo(Amori Che Non Sanno Stare Al Mondo)

Classificação: 14 anos

Estréia: 17 de novembro de 2017

Genêro: Comédia/Drama

Nacionalidade: Itália

Duração: 92 min

Nota do crítico

Crítica

Não se engane, Histórias de Amor que não Pertencem a este Mundo não é tão plural e extraordinário como o título sugere. Na verdade, durante os quase 90 minutos de narrativa, estamos diante de uma única relação amorosa, que poderia ser a minha, a sua ou a nossa, que, claro, pertencemos a este mundo.

O roteiro da obra foi escrito por um trio de italianas (Francesca Manieri, Laura Paolucci e Francesca Comencini), tendo como proposta apresentar um viés cômico, porém, dramático, da vida de Cláudia (Lucia Mascino), uma professora de meia-idade que tenta reconquistar o ex-marido Flavio (Thomas Trabacci), frente à casuística dos relacionamentos atuais, levando em conta suas frustrações e aspirações.

Buscando proporcionar uma maior dinamicidade à trama, a direção de Francesca Comencini, filha de ninguém menos que o diretor italiano Luigi Comencini, que em nada se compara à do pai (cabe ressaltar), tentou expor a trajetória dos sete anos de matrimônio da protagonista com o seu ex-marido em forma de flashbacks, mesclando imagens do presente e do passado para explicar os motivos que levaram o casal a pôr um fim numa relação, em tese, saudável. Como eu disse, tentou; pois não conseguiu conter os clichês e a mesmice inerentes à maioria das comédias dramáticas.

A propósito, quase todas as tentativas de romper com o arcabouço clássico culminaram num resultado confuso, no que concerne à sincronia das cenas, em especial, a alternância mal sucedida entre o que viria a ser drama e o que se reputaria ser comédia.

Contudo, os menos atentos, se relevarem tais aspectos, podem terminar o filme com uma boa reflexão acerca do rumo da personagem principal, que parece ter como único objetivo de vida a necessidade de estar com alguém (o qual não oferece a mesma recíproca); uma antiga mazela dos velhos tempos que permanece como fardo social sobre as relações contemporâneas, cuja funcionalidade nem sempre se mostra eficaz.

Histórias de Amor que não Pertencem a este Mundo esteve em cartaz na sessão “Cinema de Arte” do Cinépolis Natal Shopping e não há, ainda, previsão de entrar no circuito oficial natalense.

Notas

Média