Pular para o conteúdo

Bette Davis vs. Joan Crawford e a rivalidade incendiária de “Feud”

Feud(Feud)

Estréia: 2017

Genêro: Drama, Histórico

Nacionalidade: EUA

Nota do crítico

Crítica

Os bastidores de Hollywood trazem histórias tão empolgantes como as que pululam nas telas dos cinemas. Principalmente, quando trata da vida real das estrelas cinematográficas, suas alegrias, tristezas, rivalidades, sua ascensão e decadência.

Cantando na Chuva (1952) e O Artista (2012) tratam da passagem do cinema mudo para o falado e como as novas tecnologias afetaram a vida dos artistas de outrora. Crepúsculo dos Deuses (1950) fala sobre uma antiga atriz do cinema mudo (Gloria Swanson) que não aceita o fato de ter caído no ostracismo e contrata um roteirista para encontrar um novo sucesso nas telas.

Susan Sarandon e Jessica Lange encarnam as lendárias Bette Davis e Joan Crawford

Todas essas histórias mostram o fascínio do star system e a ruína diante do desgaste do tempo. São tramas ficcionais, mas que dizem muito sobre como essas pessoas lidavam com a fama que parecia escoar pelos seus dedos.

Criada por Ryan Murphy, roteirista de sucessos da TV como American Horror Story, a série Feud dá um passo a mais nos recônditos de Hollywood ao mostrar, em oito capítulos, uma das maiores rivalidades de atrizes da história do cinema: Bette Davis e Joan Crawford.

Ambas atrizes vencedoras do Oscar que encaravam o crepúsculo em suas carreiras, quando papeis femininos eram raros e elas precisavam se sobressair no universo machista do cinema. O seriado mostra como foi a relação de Davis e Crawford na encenação do clássico O Que Terá Acontecido a Baby Jane? (1962), um thiller psicológico e de horror onde elas, na verdade, lutavam para se manter no topo do estrelato.

As veteranas atrizes ensaiam o texto do clássico O Que Terá Acontecido a Baby Jane?

Produzido e dirigido por Robert Aldrich (Os Doze Condenados), o filme mostrava duas mulheres que se odiavam em tela, um reflexo polaroide do que acontecia nos tabloides da vida real e que tinha potencial incendiário para aumentar a curiosidade do público e lotar as salas de cinema.

Na série, Bette Davis é interpretada por Susan Sarandon, enquanto Joan Crawford é vivida por Jessica Lange. As atrizes encarnam as duas lendas do cinema com maestria e é simplesmente saboroso acompanhar suas atuações, sobretudo nos vários confrontos diretos que acontecem durante a temporada. Os diálogos ácidos e o menosprezo declarado de uma pela outra é o que move toda a narrativa de Feud.

Feud faz reconstituição da histórica rivalidade de Bette Davis e Joan Crawford

O sucesso de Baby Jane foi tanto que o burburinho para a indicação das duas ao Oscar era certo. Contudo, apenas a atriz de A Malvada conseguiu receber uma indicação ao Oscar, com Crawford sendo esnobada pela Academia. A história afirma que Joan fez lobby para derrotar a rival e representar uma das prováveis vencedoras da premiação. O fato é que Bette Davis perdeu a estatueta para Anne Bancroft, que foi representada por Joan na cerimônia. Esse vídeo pode ser facilmente encontrado no Youtube.

Além de desnudar essa rivalidade, Feud aborda temas importantes como o papel feminino no mundo contemporâneo, o envelhecimento e as consequências da fama, ainda mais quando ela se esvai.

Se Bette Davis e Joan Crawford eram realmente rivais, ou se apenas alimentavam a mídia para se manterem no auge (hipótese plausível), não sabemos. O fato é que a série de Ryan Murphy é um verdadeiro deleite para os apaixonados por cinema clássico e por suas desventuras dentro e fora das telas.

Notas

Média