Pular para o conteúdo

Bleach é a Netflix pedindo desculpas por Death Note

Bleach(Bleach)

Classificação: 12 anos

Estréia: 2018

Genêro: Ação, aventura, fantasia

Nacionalidade: Japão

Duração: 108 mins

Nota do crítico

Crítica

Quando lançou Death Note em seu serviço de streaming, a Netflix recebeu uma saraivada de críticas pelo acúmulo de erros nessa adaptação, do desenvolvimento das personagens ao clima equivocado, consolidando o filme como um pastiche mal resolvido.

Com Bleach, a impressão já é diferente. A série de mangá, escrita por Tito Kuboque, e que possui tanta relevância quanto Death Note, chega com consistência e potencial para agradar fãs e neófitos nessa mitologia, ao respeitar a essência do material original.

Ichigo, o herói relutante, que ganha poderes para enfrentar criaturas do outro mundo

A narrativa segue a trajetória de Ichigo Kurosaki, que desenvolveu a habilidade de ver pessoas mortas ainda na infância, em um passeio casual que fazia com sua mãe, quando ele viu uma aparição pela primeira vez, e que não terminou nada bem.

Já adolescente, ele conhece Rukia, que se revela uma Ceifeira de Almas, ao se deparar com um Hollow, um ser que devora a alma das pessoas. No embate entre ambos, ela enfrenta dificuldades para derrotar a criatura e repassa seus poderes para Ichigo, violando o código dos ceifadores.

Para recuperar as habilidades e voltar ao seu mundo, Rukia precisa desenvolver o potencial de um relutante Ichigo que passa por uma série de treinamentos, bem ao estilo Karatê Kid. E esse é ponto de partida para adentrarmos neste novo universo que vai se revelando por camadas.

Bleach traz bons efeitos gráficos e uma trilha empolgante

Tais informações são repassadas de forma até bem didática e ao passo que novos elementos vão sendo introduzidos, o novelo só vai se entrelaçando ainda mais. O fato é que o tempo limitado do longa-metragem é pouco para obter um maior entendimento desse novo mundo. São tantos conceitos que em determinado momento até o protagonista admite sua dificuldade em assimilar tudo de uma vez.

Mesmo assim, Bleach cativa o público com sua estética videogame, com uma trilha que empolga no momento certo e efeitos especiais bem produzidos. Ichigo vai superando um desafio após o outro, até enfrentar o chefão, quando ele irá se deparar com traumas do passado e com o seu destino de guerreiro pós-moderno contra gigantescos monstros híbridos.

O desfecho deixa um gancho para futuras sequências. Aliás, ao que tudo indica, a Netflix  também vai produzir uma sequência do controverso Death Note. Caso realmente aconteça, a empresa deverá tentar corrigir os rumos e se inspirar nos acertos de Bleach.

Notas

Média