Pular para o conteúdo

Clichês ambulantes em comédia que beira a monotonia

Uma Quase Dupla()

Estréia: 2018

Genêro: Comédia

Nacionalidade: Brasil

Duração: 1h30mins

Nota do crítico

Crítica

Dupla de policiais de personalidades opostas precisa entrar em sintonia para solucionar uma série de assassinatos bizarros que estão ocorrendo em uma cidade pacata. Essa é a premissa de Uma Quase Dupla, tentativa nacional de recriar fórmula bastante conhecida com um tempero tupiniquim, sem o mínimo interesse de ir além de padrões pré-estabelecidos.

Essa previsibilidade vai desde a escalação do elenco principal até a condução da história, que segue a linha de investigação onde um fato leva a outro até chegar ao desfecho pouco criativo.

Tatá Werneck faz tipo de investigadora largadona e verborrágia

No filme, Tatá Werneck é a investigadora Keyla, intransigente e largadona, que chega à monótona Joinlândia e se depara com a possível ação de um serial killer. Para ajudá-la a resolver o caso, é chamado o subdelegado Cláudio (Reymond), cara boa praça, mas mimado pela mãe (Louise Cardoso), que tenta ganhar respeito na corporação, pois vive à sombra do pai, um policial que era bastante respeitado na cidade.

Tanto Tatá quanto Cauã interpretam seus papéis em uma zona de conforto que não dá muita oportunidade para ousadias. É como se fosse uma reciclagem de personagens já vistas em outras obras. Ou seja, é Tatá sendo Tatá e Cauã sendo Cauã.

Investigação policial segue a cartilha de fórmula bastante conhecida

Apesar de ambos possuírem desafios pessoais, o roteiro não dá muito espaço para desenvolvimentos internos. Os personagens vão de um canto a outro da trama como se não saíssem do mesmo lugar. E isso só provoca um sentimento cíclico de monotonia.

O diretor Marcus Baldini tem em sua filmografia filmes de gêneros variados como Os Homens São de Marte… E É Pra Lá Que Eu Vou (comédia), Reza a Lenda (ação) e Bruna Surfistinha (drama biográfico). No pouco inspirado Uma Quase Dupla, o cineasta apertou o botão no automático passando a impressão de um déjà vu com reprise de cenas já vistas em outros filmes. Restam as piadas, que nunca funcionam. Ou por falta de timing ou por não terem graça alguma.

Notas

Média