Pular para o conteúdo

(Des) encontros

Encontros(Deux Moi)

Classificação: 12 anos

Estréia: 03 de outubro de 2019

Genêro: Comédia Romântica

Nacionalidade: França

Duração: 110 min

Nota do crítico

Crítica

A dinâmica dos relacionamentos tem mudado a nossa forma de agir diante do comportamento contemporâneo, muitas vezes incitado pelo estado líquido das relações, que escorre na brevidade do “amor” e na longevidade da solidão.

Se outrora o conceito de realização pessoal estava intrínseco ao objetivo de encontrar alguém para dividir a cama e a vida, hoje percebemos que a felicidade também é plausível quando nos damos conta que somos completos por si só.

Nesse impasse, em “Encontros”, novo longa do cineasta francês Cédric Klapisch, somos apresentados ao cotidiano de Mélanie (Ana Girardot) e Rémy (François Civil) que, vizinhos, passam por fases desafiadoras da vertente profissional à amorosa, recheadas de coincidências, mas saber da existência um do outro.

Vizinhos e sozinhos, os personagens vão paulatinamente se tornando um produto, que migrou da tendência para a realidade: da superficialidade dos relacionamentos do cenário urbano, vide aplicativos como o Tinder e outros congéneres, à robotização industrial, que substitui talentos como quem troca de roupa.

Mais que dissabores do mundo pós-moderno, que enchem os consultórios de terapeutas (temática muito bem abordada na obra), assistimos a uma reflexão sobre como é viver numa sociedade de valores menos humanos e mais impessoais, sem nunca desistir da autorrealização por maior que seja a pedra no caminho. 

Ao melhor estilo Medianeiras (2011), o que vemos na tela não é somente um filme, mas uma verdadeira ode à intimidade humana numa época em que a interpessoalidade vive uma crise de identidade ao buscar, involutariamente, (des) encontros com nós mesmos. 

Qualquer semelhança com o longa argentino é mera coincidência.

Notas

Média