Pular para o conteúdo

A hora e a vez de Carolina Jabor

Aos teus olhos()

Classificação: 16 anos

Estréia: 12 de abril de 2018

Genêro: Drama

Nacionalidade: Brasileira

Duração: 1h27min

Nota do crítico

Crítica

Filha do versátil Arnaldo Jabor, um dos cineastas e jornalistas brasileiros mais influentes da atualidade, e esposa do aclamado e autoral Guel Arraes, responsável por filmes de grande sucesso de público e por uma renovação da estética televisiva desde a década de 1980, Carolina Jabor foi aos poucos saindo da sombra de suas referências imediatas e trilhando calmamente sua própria atuação no cinema nacional.

Depois de algumas experiências em séries televisivas e da sua estreia no cinema com os documentários Milton Nascimento: A sede do peixe (1997), ao lado de Lula Buarque, e O mistério do samba (2008), é, no entanto, na ficção que impera sua diferenciação enquanto cineasta. Diretora de Aos teus olhos (2018), seu mais novo filme lançado, ela consegue manter a carga dramática já instituída no encantador Boa sorte (2014), conseguindo imprimir uma poesia própria ainda nas mais difíceis abordagens temáticas.

Aos teus olhos trata sobre os limites éticos entre um professor de natação e seus alunos. O filme é marcado por planos detalhes que sinalizam desde o início o aprofundamento na intimidade dos personagens, bem como por enquadramentos cortados, que simulam visualmente a falta das peças que podem revelar o quebra-cabeça iniciado pela denúncia de Marisa (Stella Rabello) em relação aos possíveis abusos de Rubens (Daniel de Oliveira) em Alex (Luiz Felipe Mello), seu filho de apenas oito anos de idade.

As constantes imagens subaquáticas, e por vezes desfocadas, não servem apenas para ambientar o espectador ao universo do clube onde a trama se concentra, mas evidenciam, sobretudo, a submersão de todos em uma rede de denúncias e dúvidas que imperam sobre os personagens: teia de discursos, verdades relativas, que mais geram perguntas do que respostas.

No centro dessa mobilização, as redes sociais aparecem para dar voz e representatividade a algo bem atual: o tribunal dos populares, dos anônimos, dos que condenam antes de qualquer investigação, incitando ameaças e gerando violência física e verbal em direção ao acusado. Nesse sentido, o delegado, figura mais imparcial no filme, surge, não por acaso, consertando a lâmpada de sua sala de trabalho, numa alusão ao ato de lançar luz sobre a verdade da história – o que não ocorre em função da construção narrativa do filme, que por não se posicionar, aponta tamanhas lacunas nas duas versões dos fatos que gera, pois, a impossibilidade de conclusões imediatas.

De um lado, temos a desconstrução de um professor: inicialmente representado como uma figura amorosa e atenciosa em relação aos alunos, ele vai se transformando pouco a pouco em um sujeito de práticas questionáveis: descumpre a regra de não fumar no vestuário dos alunos, guarda objetos pessoais das crianças em seu armário, traça comentários sexuais sobre as alunas ainda adolescentes do clube. Por outro, vemos Davi (Marco Ricca), pai de Alex, passar de um homem silencioso, sério e distante do filho, à pessoa que leva meticulosamente adiante a denúncia, aproximando-se do garoto e ganhando sua confiança ao final. Tais representações, no entanto, são construídas de maneira não polarizadas, dificultando o juízo de valores do público.

Com uma direção de arte cuidadosa e atuações minimalistas (e eficientes) que sustentam um ar naturalista, o filme não define ou resolve o caso, mas cumpre seu papel de mobilizar o espectador, tirando-o do lugar de conforto. Aos teus olhos, tal como o nome sugere, não é apenas a história do professor acusado de assédio e pedofilia, mas acima de tudo é um filme sobre o nosso olhar sobre as situações, sobre o estado da incerteza, da empatia e do horror em relação a um tema que precisa ser discutido nas grandes mídias.

Sendo assim, diante dos acertos, só nos resta esperar os trabalhos posteriores de Carolina Jabor, que vem galgando sua própria identidade audiovisual, escapando às sombras dos homens que a acompanham.

Notas

Média