Pular para o conteúdo

Potencial desperdiçado em série de equívocos

Inumanos(Marvel's Inhumans)

Estréia: 2017

Genêro: Drama, fantasia, ação

Nacionalidade: EUA

Nota do crítico

Crítica

O êxito comercial dos filmes do Universo Cinematográfico da Marvel, com franquias poderosas como Vingadores e seus derivados, permitiu que outros personagens e grupos de heróis também pudessem ganhar a luz do dia, na telona ou na TV.

Talvez o maior exemplo disso seja Guardiões da Galáxia, que nem eram tão conhecidos assim, mas faturaram alto nas bilheterias e conseguiram se consolidar no UCM. O resultado era uma prova inconteste de que era possível ganhar novos horizontes nesse panteão de produções inspiradas em quadrinhos.

Série tinha potencial para encantar o público com bons efeitos visuais

Como os direitos dos X-Men pertenciam à Fox, a Casa das Ideias apostou suas fichas em outro grupo que poderia atrair a atenção de seu público-alvo: Os Inumanos, uma raça com habilidades sobre-humanas, modificada geneticamente por uma espécie alienígena denominada Kree, e que reside de forma isolada no reino de Atillan.

O plano começou nas HQ´s, dando mais espaço aos Inumanos e deixando os mutantes meio que de lado. Os personagens tiveram sua primeira aparição na série Agents of Shield. A seguir, pensou-se em produzir um filme-solo, ideia substituída por uma série, produzida pela ABC.

A estreia de Inumanos foi em grande estilo. Em telas IMAX, a primeira série de TV a estrear nesse formato. Tudo planejado para que a nova franquia ganhasse uma dimensão à altura do esperado.

Tensão familiar: guerra pelo Trono de Atillan nunca atinge o ápice, apesar das tentativas

Contudo, isso não foi o bastante. Foi só o seriado ganhar seus primeiros capítulos para as críticas pipocarem na Web. O resultado desastroso provocou o cancelamento de Inumanos, que teve apenas breves oito episódios.

Na série, a Família Real de Atillan, liderada por Raio Negro (Anson Mount) e Medusa (Serinda Swan), sofre um golpe encabeçado por Maximus (Iwan Rheon), segundo herdeiro do trono. Eles fogem para o Havaí e passam a conviver com os humanos em busca da resolução do conflito.

Talvez a pretensão inicial fosse criar um clima de Game of Thrones com a série. Para tanto, a produção escalou o ator britânico Iwan Rheon, que interpretou o detestável Ransay Bolton no seriado da HBO, para o papel do golpista Maximus. Os incríveis poderes da Família Real eram outro prato cheio para deslumbrar o espectador a partir de imaginativos efeitos visuais.

Todavia, além de não conseguir reproduzir, nem de longe, o clima de intrigas e tensão de Game of Thrones, Inumanos não titubeou em limar do programa algumas das habilidades mais chamativas da série, como os cabelos da Medusa, além da rara utilização dos poderes de outros personagens. A economia visível tirou o brilho do programa, que já vinha sofrendo com um roteiro bem capenga.

Inumanos não empolgou e série foi cancelada em sua primeira temporada

Claro que se estivéssemos diante de uma boa história, os superpoderes seriam apenas um acessório a mais na trama. O fato é que nada funciona em Inumamos e tudo parece equivocado além da conta. Tanto que acompanhar a série até o final é um esforço hercúleo de paciência.

Com a negociação entre a Disney e a Fox, em que os X-Men terão enfim a possibilidade de lutar ao lado dos Vingadores em tramas futuras, a saga dos Inumanos deve passar um bom tempo no vácuo. Pelo menos até que a Marvel reavalie seus planos.

Notas

Média