Pular para o conteúdo

Monga assusta mais que “A Noiva”

A Noiva(The Bride / Nevesta)

Classificação: 12 anos

Estréia: 2017

Genêro: Terror

Nacionalidade: Russa

Duração: 1h33min

Nota do crítico

Crítica

O prólogo de A Noiva até que entrega um plot interessante. Em um ritual macabro, no século XIX, defuntos são fotografados com pálpebras pintadas como forma de preservar seu espírito. Um homem perde aquela que seria sua futura esposa e decide realizar a cerimônia, mas vai além, ao sacrificar uma virgem com o intuito de transferir a alma da falecida para um novo corpo.

Corta para o presente. A incauta  Nastya (Vitoria Agalakova) viaja com seu futuro marido para uma reunião de família no interior. Uma mansão macabra, com gente esquisita e de péssimas intenções. Basta ligar “bebé com tomé” para saber que a pobre garota vai sofrer um bocado a partir daí.

Ao chegar no local, Nastya adota o estilo de um cão farejador e sai fuçando por todos os recantos. Certamente, admirada pelos familiares do seu consorte adotarem um estilo retrô em suas vestimentas e morarem num casarão deveras interessante, mas que poderia ganhar uma mini-reforma. Não demora para ela começar a ter visões e sacar que algo cheira mal por ali, além do acúmulo de mofo.

E é aí que os clichês se acumulam como gordura localizada. Haja portas rangendo, aparições inesperadas e o som aumentando para criar aquele climão de filme de terror adolescente. O filme não titubeia em usar todas as regras básicas da cartilha para dar uns sustinhos gratuitos nos seus espectadores. Quando a tal noiva amaldiçoada surge é que o negócio piora. Ela berra, arrasta-se pelo chão e inferniza a vida de Nastya e, consequentemente, do público que decidiu conferir essa bomba.

Com situações incoerentes e uma trama arrastada, A Noiva provoca alguns risos involuntários e falha em suas tentativas de assustar de verdade. Não há um suspense genuíno, apenas tentativas de chamar atenção.

A trama poderia explorar melhor o ritual, mas a direção canhestra de Svayatoslav Podgayevskiy não traz nada de novo, apenas recicla cenas já conhecidas do público que acompanha produções do gênero.

O filme teve uma passagem rápida pelos cinemas nacionais, sem muito alarde. Aliás, causou péssima impressão ao final das sessões. É apenas o mais-do-mesmo travestido do conceito de novidade. Se encontrar A Noiva em algum catálogo de streaming, não pense duas vezes. Fuja!

Notas

Média