Pular para o conteúdo

O professor substituto é um suspense sobre o futuro

O professor substituto(L'heure de la sortie)

Estréia: 9 de janeiro de 2019

Genêro: Suspense

Nacionalidade: França

Duração: 1h 44min

Nota do crítico

Crítica

O professor substituto é um filme que pode ser considerado, no mínimo, inquietante. De cara, o longa tira o espectador de qualquer zona de conforto, e a primeira cena faz com que uma sala de aula silenciosa em uma escola de elite se torne um local ameaçador.

Quando Pierre (Laurent Lafitte) chega para assumir o posto de professor substituto, ele parece sentir que algo estranho acontece no lugar, principalmente com os adolescentes de uma classe especial, que são alunos acima da média em notas e inteligência. 

O clima de que algo ruim está prestes a  acontecer permeia todo o filme. Embora a narrativa se passe em lugares limpos e ordenados, sempre há uma sensação de estranhamento, acentuada em grande parte pela excelente trilha sonora da dupla francesa Zombie Zombie.

Pierre (Laurent Lafitte) é o professor substituto assombrado pelos seus alunos

A atitude de Pierre com seus alunos parece ambígua, ele se preocupa com eles, mas, ao mesmo tempo, sente raiva e perplexidade diante da apatia e arrogância dos adolescentes, e também teme o que eles podem estar fazendo escondidos. 

Mesmo assim, o professor insiste em resgatar esses alunos de algo que nem ele mesmo consegue compreender exatamente o que é. O próprio Pierre muitas vezes aparenta estar, como os adolescentes, deslocado dos seus semelhantes.

Ele sempre usa roupas pretas, seu semblante é sério e preocupado e ninguém dá importância ao que ele fala sobre os seus alunos. A ansiedade de Pierre em ajudar aquelas crianças e impedir que elas façam algo errado parece nascer de uma vontade do próprio personagem de salvar a si mesmo.

O suspense e o insólito são as armas do longa para prender a atenção do espectador

O longa cria uma atmosfera de suspense para envolver o espectador nos temas da história, mas sem se preocupar em responder as perguntas que surgem no desenrolar da narrativa, o que pode incomodar algumas pessoas. 

Em certos aspectos, O professor substituto se assemelha ao filme Fé Corrompida (2017), pois quer fazer a sua plateia prestar atenção e enxergar um assunto que, de modo geral, nos contentamos em ignorar para conseguirmos dormir tranquilos à noite.

O fato é que algo de ruim realmente acontece, e o filme mostrava isso o tempo inteiro em seus detalhes. O professor substituto quer despertar o seu espectador e mostrar que salvar a juventude e, consequentemente, o nosso futuro, depende de muito mais do que apenas ter esperança e boas intenções.

Notas

Média