Pular para o conteúdo

O Retorno do… Herói?

O Retorno do Herói(Le Retour du Herós)

Genêro: Comédia

Nacionalidade: Francês

Duração: 90

Nota do crítico

Crítica

Laurent Tirard está novamente no Festival Varilux trazendo uma boa comédia burlesca mais uma vez em parceria com o sempre ótimo Jean Dujardin.

Dujardin é o Capitão Charles-Grégoire Neuville que abre o filme tendo seu pedido de casamento à filha mais nova da família Beaugrand (Pauline, interpretada por Noémie Merlant) sendo aceito e no instante seguinte é convocado às fileiras do glorioso exército francês para guerrear na Áustria, no começo do século XIX. O Capitão se despede com a promessa de escrever diariamente à apaixonada Pauline, mas Elisabeth (interpretada pela ótima Mélanie Laurent), sua irmã mais nova, não parece muito feliz com a ideia de ter Neuville na família.

Dias, semanas e meses se passam, mas nenhuma carta sequer chega à mansão dos Beaugrand, até que Pauline adoece gravemente, e numa tentativa de ajudar sua irmã, Elisabeth começa a se corresponder com ela se passando pelo Capitão. Pauline melhora, e quando a situação começa a sair do controle de Elisabeth, ela resolve dar um fim escrevendo uma carta de despedida.

Pauline se casa com um vizinho, já é mãe de dois filhos, mas três anos depois Neuville ressurge, primeiro a Elizabeth, que logo descobre que ele desertou; e depois ao resto da sociedade, mas o segredo fica apenas entre ele e Elizabeth, que logo tem que o atualizar sobre as cartas que fizeram dele um herói. Neuville então veste a carapuça de seu personagem, e como um bom cavalheiro, respeita que Pauline esteja casada e passa a vê-la entre os Beaugrand, a convite deles.

A aparência canalha e cafajeste de Neuville não engana deste o início do longa, mas agora sua personalidade fica ainda mais clara. Ele e Elisabeth sustentam a mentira um do outro, Neuville a valorizando cada vez mais e levando sua vida de galanteador e contador de vantagens. Por meio de muita conversa e trapassas, mesmo falido, mantém suas aparências e vida em meio à nobreza.

O Capitão discorda de algumas das narrativas criadas por Elizabeth, diz que suas soluções são fáceis como numa história ruim e se dá ao serviço de “consertar” as partes que não gosta. Durante a metragem do longa muita coisa acontece, ele passa perto de ser desmascarado por diversas vezes mas sempre escapa e a comédia rasgada não se esconde. O filme não faz questão de ser inteligente, mas de fazer rir mesmo com coisas tão bobas, e cumpre bem seu papel.

O final reserva algumas surpresas, tem uma cena emocionada e o exército francês quase desmascarando o falso Capitão, mas um final inusitado nos aguarda e o filme termina de forma interessante mas inesperada, como qualquer boa história ruim.

O elenco conta ainda com Christophe Montenez, Evelyne Buyle, Christian Bujeau, Féodor Atkine e Fabienne Galula.


Em Natal, você ainda pode conferi-lo no Festival Varilux de Cinema Francês, na Cinépolis Natal Shopping, em duas oportunidades: terça-feira, 12/06 às 14h00 e sábado, 16/06 às 20h.

Notas

Média