Pular para o conteúdo

Tensões em rota de colisão

Tungstênio(Tungsten)

Estréia: 2018

Genêro: Drama

Nacionalidade: Brasil

Duração: 1h20mins

Nota do crítico

Crítica

A tensão social existente na sociedade brasileira em suas várias facetas é premissa de Tungstênio, HQ homônima de Marcello Quintanilla adaptada para o cinema pelo diretor pernambucano Heitor Dhallia.

Na história, dois homens utilizam explosivos para pescar na orla de Salvador. Um ex-sargento do exército (Zé Dumont) presencia o ato e se revolta, buscando a toda maneira impedi-los de praticar o crime ambiental. Outros personagens são envolvidos nesse conflito: um jovem traficante de drogas (Wesley Guimarães), um policial intempestivo (Fabrício Boleira) e sua mulher (Samira Carvalho), que quer abandoná-lo.

Tungstênio apresenta o Brasil contemporâneo em rota de colisão

O filme é permeado por uma narração em off (de Milhem Cortaz) que a todo instante revela o que realmente pensa cada um desses quatro indivíduos, como que dissecando suas idiossincrasias sem utilizar de maniqueísmos, o que leva a um conhecimento mais apurado das tensões que crescem no decorrer da narrativa.

No aspecto técnico, Tungstênio utiliza uma fotografia em cores vibrantes, que enchem a vista, e movimentos de câmera que ressaltam a dinamicidade da trama. Há muito uso de contra-plongée, por existir uma percepção de posicionamentos discordantes muito clara. O tom naturalista das interpretações também reforça o sentimento de colisão existente no recorte dos quatro personagens principais.

Fotografia vibrante e movimentos dinâmicas de câmeras evidenciam tensão

Há uma crítica política muito incisiva no filme, em relação a um aparente “saudosismo” de certa parcela da população a regimes militaristas, identificado na postura do personagem vivido por Zé Dumont, que representa a sociedade vigilante e moralista dos dias de hoje.

Tese que ganha contornos fora do ecrã diante do grau de revanchismo vivenciado, por exemplo, no primeiro turno das eleições políticas desse ano. Nesse aspecto, Tungstênio se coloca como um estudo premente das tensões sociais recentes que evidenciaram um lado bastante obscuro do Brasil contemporâneo.

Notas

Média