Pular para o conteúdo

Uma mãe nada convencional

O Poder de Diane(Diane a les Épaules)

Classificação: 12 anos

Estréia: 15 de novembro de 2017

Genêro: Comédia

Nacionalidade: França

Duração: 1h27min

Nota do crítico

Crítica

Na comédia escrita e dirigida por Fabien Gorgeart, Diane é uma mulher livre que vive em festas e não consegue manter relacionamentos por muito tempo. Sua personalidade descompromissada a leva a aceitar abrigar em seu ventre o filho de seus amigos Thomas e Jacques, sem que isso a afete emocional e cotidianamente.

Assim, ela passa a levar sua vida de maneira normal, exercendo suas atividades de antes e mantendo apenas os cuidados mínimos que se deve ter durante uma gravidez. Nesse meio tempo, morando sozinha na casa de campo dos avós, ela conhece Fabrizio, um eletricista com quem passa a ter um relacionamento amoroso.

Diane e Fabrizio iniciam um relacionamento inesperado e improvável

O filme demora a engrenar e mostrar a que veio, impedindo o público de compreender as intenções e motivações da protagonista. Na primeira metade da projeção, as informações são apresentadas de modo aleatório e sem muitas explicações. Os espectadores são levados a compreender que se trata de uma mulher que está servindo como barriga de aluguel para um casal de amigos, mas isso é mostrado muito bruscamente sem uma melhor contextualização. A própria relação dela com Fabrizio é muito dispersa e não tem consistência o suficiente para causar empatia, assim como o elo que ela mantém com os pais do filho que carrega.

A comédia traz alguns bons momentos cômicos, mas somente isso. O clima leve que o diretor optou por imprimir à obra a impede de ser mais consistente. A condução do roteiro, de maneira solta, apenas jogando as ações aleatoriamente na tela, deixa a trama superficial. Fica a impressão de que foi desperdiçada uma grande oportunidade de abordar mais objetivamente e aprofundar um tema tão interessante e pouco explorado como a maternidade por substituição.

Diane é a mãe por substituição do filho de Thomas e Jacques

Mesmo que Clotilde Hesme tenha um desempenho eficiente dentro do que foi proposto à protagonista, as amarras impostas pelo roteiro a impediram de expandir sua personagem e torná-la mais rica. A chance de tornar Diane mais humana e revelar seu lado emocional, bem como sua ligação com a criança, foi inserida tarde demais na narrativa e acabou por se perder, não causando o devido impacto. Desse modo, o espectador não teve tempo de assimilar o acontecimento e poder se envolver mais com a estória.

O Poder de Diane é uma comédia sem compromissos que rende alguns momentos de alívio cômico à plateia, mas não consegue passar disso. A sessão acaba e fica a sensação de vazio, do que poderia ter sido, mas não foi.

Diane a les Épaules faz parte da programação do Festival Varilux de Cinema Francês 2018 e está em cartaz no Cinépolis Natal Shopping. O filme terá, ainda, duas sessões: terça-feira, 12 de junho, às 22h30; e sábado, 16 de junho, às 17h.

Notas

Média