Kubrick Antes de ‘Medo e Desejo’

Como era a vida de Stanley Kubrick antes de ser “O Diretor Stanley Kubrick”

No início da década de 1950, um jovem de 21 anos comparecia assiduamente nas sessões de cinema do Museu de Arte Moderna de Nova York. No meio da multidão, o fotojornalista Stanley Kubrick analisava os filmes, desejoso de alçar voo para o outro lado da tela, no comando de uma grande produção cinematográfica.

Nascido no Bronx e filho de um famoso médico da região, Kubrick teve uma formação intelectual bastante erudita, na pré-adolescência construiu os hábitos de jogar xadrez, apreciar o jazz, e experimentar fotografia.

A princípio como hobby, os professores perceberam o potencial de Kubrick e tornaram o fotógrafo oficial de sua escola. Aos 17 anos no caminho para aula, o jovem fotógrafo se depara com um homem que trabalhava em uma banca de revistas. O lamenta desse senhor estava visível em seu semblante: naquele dia o então presidente Roosevelt havia morrido. Kubrick registra o momento e ganha além dos 25 dólares, sua primeira publicação fora do colégio, começava a sua relação com a revista Look.

10.03 kubrickpic

Apesar de seu interesse por Shakespeare e CDF na disciplina de Física, Kubrick completa insatisfatoriamente o ensino médio, o que acarreta a não ingressão para as universidades por não possui nota suficiente para ser aprovado. Insistiu por algum tempo em aulas noturnas, esperançoso para entrar no ensino superior, mas Kubrick acaba aceitando uma proposta da Look para compor o quadro de fotojornalistas.

10.03 kubrickpic 02

Kubrick fez carreira e tornou-se um ótimo profissional, viajou para Portugal a serviço, tempo depois casou-se com Toba Metz. No período de folga, já vislumbrando o mundo do cinema, ele dedicava-se a leituras dos mais diversos livros, os filmes exibidos no referido Museu e assistia aulas como ouvinte na Columbia University.

Sua curiosidade não tinha fim e em 1950 já se sentia seguro para empreender no mundo do cinema. Ao encontrar com um velho amigo de escola, Alexander Singer, que atuava como produtor de cinema, decidiram fazer juntos um documentário sobre o boxeador Walter Cartier. O contato de Kubrick com o pugilista aconteceu antes, em uma matéria para a Look, o que facilitou a produção do curta-metragem de 35mm Day of the Fight (1951) Outro amigo que Kubrick angariou para colaborar na trilha sonora e que no futuro se tornaria um grande compositor foi Gerald Fried.

O seu primeiro curta não gerou lucro. Porém o estúdio que comprou os direitos, RKO, reconheceu o potencial do cineasta e decidiu investir 1.500 dólares para seu segundo documentário, Flying Padre (1951) em que o objetivo era filmar um padre, que também era aviador, em missão para uma aldeia indígena.

O visionário Joseph Burstyn, distribuidor responsável por trazer filmes europeus e independentes para Nova York com intenção de promover o cinema de arte, encoraja Stanley Kubrick a filmar o seu primeiro longa. Com o dinheiro cedido pela família e por amigos, surge Medo e Desejo (1953), colocando Kubrick no hall dos cineastas norte-americanos.

Sempre buscando independência, transitando nos mais diversos gêneros cinematográficos mas quase à parte do cinema Hollywoodiano, Stanley Kubrick deixou sua marca própria, se tornou um cineasta-autor.

Rememorando a sua origem como cineasta, Kubrick recomenda aos futuros diretores:

A melhor educação que se pode receber no cinema é fazer um filme. Eu aconselharia a qualquer diretor novato a tentar realizar um filme por si mesmo. Um curta-metragem de três minutos vai lhe ensinar muito. Sei que tudo o que fiz no início de minha carreira foi, em microcosmo, o que faço hoje como diretor e produtor. Há muitos aspectos não criativos na realização de um filme que devem ser superados e todos serão encontrados ao fazer o menor filme: as finanças, a organização, as taxas… É raro conhecer um ambiente artístico sem entraves quando se faz um filme, e ser capaz de aceitar isso é essencial. O que devemos ressaltar é que qualquer pessoa seriamente interessada pela realização de um filme deve arrecadar o máximo de dinheiro, o mais rápido possível, mergulhar e filmar.

Dirigir os clássicos Dr. Fantástico (1964), 2001: uma Odisseia no Espaço (1968) e O Iluminado (1980) não é nada mal para um ex-fotojornalista que não conseguiu ingressar na universidade, não é mesmo?

Fonte: CIMENT, Michel. Conversas com Kubrick. Tradução: Eloisa Ribeiro. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

[:en]Coming Soon[:]