ABOCA Audiovisual: um novo conceito

Durante cinco anos, Natal teve acesso ao espaço cultural ABOCA, que atendia, essencialmente, a propostas cênicas e musicais do circuito independente potiguar. Em abril desse ano, no entanto, ABOCA fechou suas portas, impactada pela crise política e econômica do país, além de um já familiar descaso do Estado com o setor cultural.

O que parecia ser o fim, no entanto, foi uma forma de se reinventar, já que ABOCA reaparece agora com um novo conceito e uma nova proposta artística. Transformou-se em uma produtora audiovisual, fazendo coro à ascensão deste campo nos últimos anos no Rio Grande do Norte.

Ainda à procura de uma nova sede, ABOCA Audiovisual promete ser, não apenas um novo espaço de produção audiovisual na cidade, mas um lugar de acolhimento. As novas ideias e realizadores, estão por vim, inclusive, a viabilizar projetos por meio de editais públicos e privados.

Em sua inauguração, ainda sem data definida, o público terá acesso a três curtas-metragens potiguares (que estão agora em fase de pós-produção). Os documentários KATU – a tradicional família brasileira, dirigido por Rodrigo Sena e Calixto passou por aqui, de Wallace Yuri e Rodrigo Sena, bem como a ficção BOYCAM, com direção compartilhada por Arlindo Bezerra, Ernani Silveira e Rodrigo Sena, estão nessa estréia.

Agora só nos resta torcer por essa nova investida. Vida Longa à ABOCA Audiovisual!