BBC elege os 100 melhores filmes de língua não inglesa

A BBC divulgou, essa semana, uma lista com os cem melhores filmes de língua não inglesa da história. A seleção foi feita por 209 críticos de 43 países durante os últimos meses.

Em primeiro lugar está Os Sete Samurais, de Akira Kurosawa. O filme é considerado um marco do cinema japonês, e tem influenciado diversos diretores nas últimas décadas. A segunda colocação é de Ladrões de Bicicleta, de Vittorio de Sica, um dos grandes representantes do neo-realismo italiano. Fechando o pódio está Era Uma Vez em Tóquio, do cineasta japonês Yasujirô Ozu.

O ranking é composto de obras dirigidas por 67 diretores diferentes, de 24 países, feitos em 19 idiomas. O cinema francês se destaca na seleção com 27 títulos. Em seguida vem o mandarim, com doze filmes; sucedido pelas produções italianas e japonesas – onze, cada uma. Os filmes de origem espanhola são sete, e apenas um filme em português está presente na listagem: o brasileiro Cidade de Deus, de Fernando Meirelles.

Os Sete Samuarais (1954) ficou no topo da extensa lista

A editoria de cultura da BBC também inclui na lista clássicos como A Doce Vida, de Federico Fellini; Os Incompreendidos, de François Truffaut; Persona, de Ingmar Bergman; Metrópolis, de Fritz Lang; e produções mais recentes, como O Labirinto do Fauno, de Guillermo del Toro; O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, de Jean-Pierre Jeunet; E Sua Mãe Também, de Alfonso Cuarón; e A Separação, de Asghar Farhadi.

Há que se lamentar que o júri tenha incluído apenas quatro produções dirigidas por mulheres. As únicas representantes femininas do ranking são as cineastas Agnès Varda (Cléo das 5 às 7), Chantal Akerman, (Jeanne Dielman) Claire Denis (Bom Trabalho) e Kátia Lund, que co-dirigiu Cidade de Deus.

Essa é a terceira vez que a BBC faz uma pesquisa de rankeamento cinematográfico. A primeira apontou os melhores filmes do século 21, sagrando Cidade dos Sonhos, de David Lynch, campeão. Já segunda elegeu a melhor comédia de todos os tempos, cujo vencedor foi Quanto Mais Quente Melhor, de Billy Wilder.

Veja a completa dos cem melhores filmes em língua não inglesa:

1. Os Sete Samurais (Japão, 1954) – Akira Kurosawa
2. Ladrões de Bicicleta (Itália, 1948) – Vittorio de Sica
3. Era Uma Vez em Tóquio (Japão, 1953) – Yasujirô Ozu
4. Rashomon (Japão, 1950) – Akira Kurosawa
5. A Regra do Jogo (França, 1939) – Jean Renoir
6. Persona (Suécia, 1966) – Ingmar Bergman
7. Oito e Meio (Itália, 1963) – Federico Fellini
8. Os Incompreendidos (França, 1959) – François Truffaut
9. Amor À Flor da Pele (China, 2000) – Wong Kar-wai
10. A Doce Vida (Itália, 1960) – Federico Fellini
11. Acossado (França, 1960) – Jean-Luc Godard
12. Adeus, Minha Concubina (China, 1993) – Chen Kaige
13. M – O Vampiro de Düsseldorf (Alemanha, 1931) – Fritz Lang
14. Jeanne Dielman (Bélgica, 1975) – Chantal Akerman
15. A Canção da Estrada (Índia, 1955) – Satyajit Ray
16. Metrópolis (Alemania, 1927) – Fritz Lang
17. Aguirre, a Cólera dos Deuses (Alemanha, 1972) – Werner Herzog
18. A Cidade das Tristezas (Taiwan, 1989) – Hou Hsiao-hsien
19. A Batalha de Argel (Itália, Argélia, 1966) – Gillo Pontecorvo
20. O Espelho (União Soviética, 1974) – Andrei Tarkovsky
21. A Separação (Irã, 2011) – Asghar Farhadi
22. O Labirinto do Fauno (Espanha, México, Estados Unidos, 2006) – Guillermo del Toro
23. A Paixão de Joana d’Arc (França, 1928) – Carl Theodor Dreyer
24. O Encouraçado Potemkin (União Soviética, 1925) – Sergei M
25. As Coisas Simples da Vida (Taiwan, Japão, 2000) – Edward Yang
26. Cinema Paradiso (Itália, 1988) – Giuseppe Tornatore
27. O Espírito da Colmeia (Espanha, 1973) – Víctor Erice
28. Fanny e Alexander (Suécia, 1982) – Ingmar Bergman
29. Oldboy (Coreia do Sul, 2003) – Park Chan-wook
30. O Sétimo Selo (Suécia, 1957) – Ingmar Bergman
31. A Vida Dos Outros (Alemanha, 2006) – Florian Henckel von Donnersmarck
32. Tudo Sobre Minha Mãe (Espanha, 1999) – Pedro Almodóvar
33. Playtime – Tempo de Diversão (França, 1967) – Jacques Tati
34.Asas do Desejo (Alemanha, 1987) – Wim Wenders
35. O Leopardo (Itália, 1963) – Luchino Visconti
36. A Grande Ilusão (França, 1937) – Jean Renoir
37. A Viagem de Chihiro (Japão, 2001) – Hayao Miyazaki
38. Um Dia Quente de Verão (Taiwan, 1991) – Edward Yang
39. Close-Up (Irã, 1990) – Abbas Kiarostami
40. Andrei Rublev (União Soviética, 1966) – Andrei Tarkovsky
41. Tempo de Viver (China, 1994) – Zhang Yimou
42. Cidade de Deus (Brasil, 2002) – Fernando Meirelles e Kátia Lund
43. Bom Trabalho (França, 1999) – Claire Denis
44. Cléo das 5 às 7 (França, 1962) – Agnès Varda
45. A Aventura (Itália, 1960) – Michelangelo Antonioni
46. O Boulevard do Crime (França, 1945) – Marcel Carné
47. 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias (Romênia, 2007) – Cristian Mungiu
48. Viridiana (Espanha, México, 1961) – Luis Buñuel
49. Stalker (União Soviética, 1979) – Andrei Tarkovsky
50. A Atalante (França, 1934) – Jean Vigo
51. Os Guarda-Chuvas do Amor (França, 1964) – Jacques Demy
52. Pai e Filha (Japão, 1949) – Yasujirô Ozu
53. A Grande Testemunha (França, 1966) – Robert Bresson
54. Comer Beber Viver (Taiwan, 1994) – Ang Lee
55. Jules e Jim (França, 1962) – François Truffaut
56. Amores Expressos (China, 1994) – Wong Kar-wai
57. Solaris (União Soviética, 1972) – Andrei Tarkovsky
58. Desejos Proibidos (França, 1953) – Max Ophüls
59. Vá e Veja(União Soviética, 1985) – Elem Klimov
60. O Desprezo (França, 1963) – Jean-Luc Godard
61. O Intendente Sansho (Japão, 1954) – Kenji Mizoguchi
62. A Viagem da Hiena (Senegal, 1973) – Djibril Diop Mambéty
63. Primavera Numa Pequena Cidade (China, 1948) – Fei Mu
64. A Liberdade é Azul (França, 1993) – Krzysztof Kieślowski
65. A Palavra (Dinamarca, 1955) – Carl Theodor Dreyer
66. O Medo Devora a Alma (Alemanha, 1973) – Rainer Werner Fassbinder
67. O Anjo Exterminador (México, 1962) – Luis Buñuel
68. Contos da Lua Vaga (Japão, 1953) – Kenji Mizoguchi
69. Amor (França, Áustria, 2012) – Michael Haneke
70. O Eclipse (Italia, 1962) – Michelangelo Antonioni
71. Felizes Juntos (China, 1997) – Wong Kar-wai
72. Viver (Japão, 1952) – Akira Kurosawa
73. Um Homem com uma Câmera (União Soviética, 1929) – Dziga Vertov
74. O Demônio das Onze Horas (França, 1965) – Jean-Luc Godard
75. A Bela da Tarde (França, 1967) – Luis Buñuel
76. E Sua Mãe Também (México, 2001) – Alfonso Cuarón
77. O Conformista (Itália, 1970) – Bernardo Bertolucci
78. O Tigre e o Dragão (China – Taiwán, 2000) – Ang Lee
79. Ran (Japão, 1985) – Akira Kurosawa
80. Os Esquecidos (México, 1950) – Luis Buñuel
81. Céline e Julie Vão de Barco (França, 1974) – Jacques Rivette
82. O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (França, 2001) – Jean-Pierre Jeunet
83. A Estrada (Itália, 1954) – Federico Fellini
84. O Discreto Charme da Burguesia (França, 1972) – Luis Buñuel
85. Umberto D. (Itália, 1952) – Vittorio de Sica
86. A Pista (França, 1962) – Chris Marker
87. Noites de Cabíria (Itália, 1957) – Federico Fellini
88. Crisântemos Tardios (Japão, 1939) – Kenji Mizoguchi
89. Morangos Silvestres (Suécia, 1957) – Ingmar Bergman
90. Hiroshima, Meu Amor (França, 1959) – Alain Resnais
91. Rififi (França, 1955) – Jules Dassin
92. Cenas de um casamento (Suécia, 1973) – Ingmar Bergman
93. Lanternas Vermelhas (China, 1991) – Zhang Yimou
94. Onde Fica a Casa do Meu Amigo? (Irã, 1987) – Abbas Kiarostami
95. Nuvens Flutuantes (Japão, 1955) – Mikio Naruse
96. Shoah (França, 1985) – Claude Lanzmann
97. Gosto de Cereja (Irã, 1997) – Abbas Kiarostami
98. In The Heat of the Sun (China, 1994) – Jiang Wen
99. TPaisagem na Neblina (Grecia, 1988) – Theo Angelopoulos
100. Cinzas e Diamantes (Polônia, 1958) – Andrzej Wajda