MinC inicia seleção para escolha de representante brasileiro no Oscar

O Ministério da Cultura (MinC) abriu, nesta segunda-feira (25), processo seletivo para a escolha do longa-metragem brasileiro que disputará uma vaga no Oscar 2019. O filme escolhido vai tentar ficar entre os cinco indicados à estatueta de Melhor Filme em Língua Estrangeira do Academy Awards.

O prazo de inscrições vai até as 18h do dia 17 de agosto. Para se inscrever, é preciso preencher o formulário disponível no portal. Para participar do processo seletivo, o filme deve ter sido lançado e exibido inicialmente no Brasil, entre 1º de outubro de 2017 e 30 de setembro de 2018, em sala de cinema comercial, por pelo menos setes dias consecutivos. A inscrição deverá ser feita pela produtora titular dos direitos da obra ou pela distribuidora autorizada, que poderá inscrever sob o mesmo cadastro quantos filmes desejar.

A Comissão Especial de Seleção do Oscar 2019 anunciará o resultado da seleção no dia 11 de setembro. A produtora ou distribuidora do filme selecionado terá até 1º de outubro para enviar à Academy of Motion Picture Arts and Sciences uma cópia do filme em 35mm ou 70mm, juntamente com os demais documentos estabelecidos no edital do concurso.

O distribuidor e diretor vice-presidente da Academia Brasileira de Cinema (ABC), Jorge Peregrino, será o presidente da Comissão de Seleção, que terá como membros a atriz Bárbara Paz, os diretores Flávio Tambellini, Jefferson De, João Jardim e Hsu Chien e a produtora Lucy Barreto. Os suplentes serão a diretora e produtora de festivais Kátia Adler, a produtora Cláudia da Natividade e o produtor e diretor Ricardo Pinto e Silva.

O Brasil já teve quatro representantes na disputa pelo Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Em 2017, Bingo, o Rei das Manhãs, de Daniel Rezende, foi o filme selecionado para disputar uma vaga entre os indicados na categoria Melhor Filme em Língua Estrangeira, mas não conseguiu passar na seleção final. O último filme brasileiro a concorrer na categoria foi Central do Brasil (Walter Salles), em 1999, que também teve Fernanda Montenegro indicada a Melhor Atriz. O país levou mais dois longas para a disputa pela estatueta: O Pagador de Promessas (Anselmo Duarte), em 1963; O Quatrilho (Fábio Barreto, em 1996; e O Que É Isso Companheiro? (Bruno Barreto), em 1998.

Infelizmente, o Brasil ainda não conseguiu trazer nenhum prêmio para casa, mas a cada ano a torcida do público brasileiro só aumenta. Quem sabe 2019 seja o ano do país no Oscar. Filmes nacionais de qualidade não faltam!