Suspenses italianos marcam a XII Semana do Filme Cult

Os adoradores dos cultuados suspenses italianos dos anos 1970 não podem perder a XII Semana do Filme Cult. O evento, promovido pelo Cineclube Natal, exibirá três filmes do gênero giallo entre os dias 17 e 19 de maio, sempre às 18h30, no Teatro de Cultura Popular – TCP, ao lado da Fundação José Augusto. A mostra ainda contará com quitutes italianos do Mediterrâneo Buffet, na sessão de sábado.

O giallo é um mezzo suspense, mezzo romance policial. Leva esse nome por remeter ao amarelo das revistas em quadrinhos policialescas em que se inspiraram (giallo significa amarelo em italiano).O subgênero, apesar de muitas vezes se confundir com polizzioteschi, outro estilo italiano que fez sucesso na década de 1970 e que influenciou produções americanas como Dirty Harry, O Poderoso Chefão e Sérpico, representa uma categoria distinta, com características únicas – assim defende a maioria dos críticos. Os giallos trazem como mote invariavelmente histórias de crimes, mas com riqueza descritiva e, comumente, investigações de assassinatos em série. Os filmes escolhidos para compor um mosaico de giallos para esta mostra revelam um cenário do gênero já consolidado.

Veja a programação:

Quinta-feira (17)

O Ventre Negro da Tarântula (1971), de Paolo Cavar

Um policial investiga uma série de assassinatos ocorridos em um salão de beleza, todos com um toque peculiar de perversão: o criminoso paralisa suas vítimas que, indefesas, assistem à sua própria morte. Demonstrando ser um atento admirador de Mario Bava, Cavara conquista neste filme pelo elenco estelar: Claudine Auger, Barbara Bouchet, Stefania Sandrelli e Barbara Bach.

Sexta-feira (18)

A Casa das Janelas Sorridentes (1976), de Pupi Avati

Stefano (Lino Capolicchio), um jovem pintor, chega em um antigo vilarejo para restaurar a pintura de uma igreja. O autor era um nobre que habitava o castelo do vilarejo, cujas obras captavam os momentos finais das vidas das pessoas, que morreram de forma repentina e sem explicações. Stefano é encurralado quando uma série de assassinatos começa a ocorrer misteriosamente.

Sábado (19)

A Cauda do Escorpião (1971), de Sergio Martino

A protagonista é mulher de um milionário que acaba de morrer num estranho acidente de avião, deixando um seguro de 1 milhão de dólares. Para receber o dinheiro, ela deve viajar até Atenas, mas é seguida por um assassino que deixa uma trilha de vítimas.

O Cineclube Natal cobra uma taxa de manutenção não obrigatória para entrada, de R$ 5.