A Saga: Os 7

Setcenas-Apphia-Base

O prelúdio dos Tempos. O Universo Original. Não começou com uma fagulha de luz ou uma palavra divina. Nem mesmo à partir de uma explosão ao acaso. Nas primícias dos Tempos, havia apenas escuridão. A mais densa e opaca escuridão. E Apphia, a árvore da Vida Primordial, portadora dos 7 Elementos do Sem-Fim. Dela, germinam duas Omnisciências que selariam para sempre o destino de toda a existência: Pan, constituído de pura Matéria, oriundo de seus vastos e belos ramos, e Dirac, formado de Anti-Matéria, proveniente de suas mais profundas e misteriosas raízes. Apesar de suas naturezas opostas, ambos eram perfeitos complementares. Enquanto Pan estendia seu legado de criação além do infinito, Dirac freava seus ímpetos cimentando-os cada vez mais nas profundezas da não-existência. A simetria inicial duraria alguns milhões de anos, até um Evento Singular ocorrer. Um dos Ramos de Apphia inadvertidamente cresce para baixo, enquanto uma de suas Raízes ascende. Subitamente, ao se tocarem, provocam um abalo cósmico sem precedentes, transmutando a índole harmoniosa dos dois seres Originais.

Setcenas-Apphia-04

Pan, Inconformado com a estagnação do Cosmos, decide tornar-se predominante e, num ato de pura soberba, exila Dirac para a dimensão do Onírico, território regido por leis fatalmente desconhecidas que acabam por aprisioná-lo. Com o banimento de seu único opositor, Pan e seu Reinado de Matéria prosperam como nunca e inicia-se uma Era de grande expansão do Universo Original, multiplicando-se infinitas vezes. Eis que o Criador, como torna-se reconhecido, faz surgir Os Imorredouros, seres imortais de Incalculável poder, afim de controlar os 7 Elementos de Apphia: Luz, Som, Tempo, Matéria, Movimento, Sonhar e Pensar.

Os 7 arautos de Pan são as únicas constantes num universo em ebulição, preservando as hastes de sustentação das Terras do Sem-Fim e do próprio Universo. Sem a presença destas criaturas milenares, a própria existência entraria em colapso. A realidade como a conhecemos depende da harmonia entre estes seres. Cada um é responsável pela manutenção de seu Reino e do bem estar de seus súditos, mas todos os que habitam as Terras do Sem-Fim trabalham incansavelmente em prol de um único e perene objetivo: o harmonioso funcionamento dos 7 Elementos. Os Imorredouros são conhecidos no Universo dos Despertos por uma infinidade de nomes ao longo dos séculos: os 7 Cavaleiros, os Imortais, os Guardiões ou, simplesmente, Os Sete.

Os Imorredouros nunca estiveram tão próximos das Terras Baixas, mais especificamente de um minúsculo planeta azul (apelidado “Azulzinho” pelos 7), devido a uma incrível descoberta feita pelos Sapiens no final do século 19: O Cinema. Cada um dos Guardiões ficou incrivelmente intrigado como criaturas como os Sapiens, tão rudimentares e imperfeitos, foram capazes de encontrar uma forma de expressão tão complexa e completa, a ponto de ser necessário a interação de todos os 7 elementos do Sem-Fim. Assim sendo, os Imorredouros, cada um a sua maneira, destina uma poeira de tempo que lhes sobra para dedicar-se a esta nova forma de poder, que poderá ser determinante para o futuro de todo o Universo…

Enquanto isso, Dirac torna-se Senhor do Onírico e, em uma de suas buscas incansáveis para tentar emular o criacionismo de Pan e resgatar seu lugar ao lado da árvore da Vida Primordial, recria uma versão enegrecida e corrompida da Matéria, lançando-a secretamente no Mundo dos Despertos. Silenciosamente, Dirac vai ganhando território novamente, e a batalha entre os dois Titãs do Universo Original parece estar apenas começando…

 

Setcenas-Dirac